Entenda a importância do currículo

O currículo ainda é a principal ferramenta na busca por um emprego. A fase de triagem de currículos é primeira etapa utilizada na grande maioria das empresas para seleção dos candidatos e pode de eliminar do processo de imediato. Portanto, se você ainda não se preocupa com seu currículo, entenda que seus resultados continuarão a ser comprometidos.

A primeira função de um currículo é instigar o recrutador a chamá-lo para uma entrevista de emprego. A segunda função é servir como roteiro da conversa na etapa presencial do processo seletivo, a preparação é a chave do sucesso e com o currículo não deve ser diferente. Antes de sentar para escrever seu currículo, você precisa entender quais são seus objetivos profissionais, como por exemplo qual o tipo de vaga que pretende atuar e as empresas que se encaixam com seu perfil.

Fique atento para não cometer erros gramaticais, de digitação ou de informação, que podem causar má impressão.

Os erros de português mais frequentes

1. Ortografia e digitação

Erros de ortografia e digitação são os mais comuns no currículo e – embora pareçam bobagem – podem, sim, fazer um candidato desatento perder alguns pontos na avaliação.

2. Pontuação

Outro problema recorrente é a falta de vírgulas no texto corrido. “São frases sem fim e, muitas vezes, sem coerência”. A dica é usar vírgulas para estruturar o texto, como se fossem aspas, que você deve abrir e fechar. Se achar que não domina o assunto, utilize frases curtas e objetivas. Assim: sujeito, verbo, complemento. Não tem erro. Também vale dividir os assuntos em tópicos, o que ajuda a organizar as informações e facilita a vida de quem vai ler.

3. Vírgula entre sujeito e verbo

Vírgula NUNCA deve separar o sujeito do verbo – mesmo quando parece que o leitor precisa de uma pausa para respirar naquele momento. Por exemplo, “os projetos, trouxeram resultados positivos”. É um erro grave que demonstra falta de domínio da linguagem escrita.

4. Plural é plural

Mais um erro básico que acaba queimando o filme de muita gente boa é não utilizar o plural da forma correta, tanto no uso do “s” quanto na concordância verbal. Um erro bem comum, aliás, é deixar o verbo no singular quando o sujeito vem depois dele, no plural. Por exemplo, quando você escreve no corpo do e-mail “Segue as cartas de recomendação…”.

O correto é “seguem as cartas de recomendação”, no plural, ou “segue a carta de recomendação”, no singular.  Atenção também quando a frase é longa. Nada de dizer “a área de RH das empresas eram importantes “, ok? A “área de RH”, núcleo do sujeito da oração, está no singular e é também no singular que o verbo deve ficar.

5. O verbo “haver”

Muita gente também tropeça nessa hora porque se esquece de que “haver” no sentido de existir não tem sujeito, por isso fica sempre na terceira pessoa do singular. “Há dez problemas”, “houve dez problemas”, “haverá dez problemas”. Vale o mesmo quando os verbos “haver” e “fazer” indicam tempo. “Faz um ano”, “faz mil anos”, “havia um ano”, “havia mil anos”, sempre no singular.

Objetividade também é regra geral do bom currículo: duas páginas bastam até para o mais experiente dos profissionais. O ideal é deixar algumas informações para conversar durante a entrevista e surpreender positivamente o recrutador

 
Inscreva-se

curso-etiqueta-profissional-claudia
Inscreva-se


 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *